Hugo Rodas, cinco décadas de intensidade teatral

Nascido no Uruguai e radicado há 40 anos no Brasil, Hugo Rodas é um dos mais talentosos e importantes artistas de teatro no Brasil, como ator, diretor, bailarino, coreógrafo, cenógrafo, figurinista e professor. Huguito tem uma trajetória ligada a coletivos e parcerias. Nos anos 1970 e 1980, dirigiu o Grupo Pitú e, também nessa época, vieram as primeiras experiências com Antônio Abujamra, no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) e com José Celso Martinez Corrêa, no Teatro Oficina. Nos anos 1990, foi a vez das parcerias artísticas com o Teatro Universitário Candango (Tucan) e a Companhia dos Sonhos. Em seguida, na década de 2000, surgiu a Agrupação Teatral Amacaca (ATA), sua mais recente trupe.

Alguns dos maiores sucessos de público e crítica da história do teatro e da dança de Brasília trazem o selo de qualidade Hugo Rodas, como “Senhora dos afogados” (1987), “A casa de Bernarda Alba” (1988/91), “A menina dos olhos” (1990/91), “Romeu e Julieta” (1993/99), “O olho da fechadura” (1994/95), “The Globe Circus” (1997), “Shakespeare in concert” (1997), “Arlequim: servidor de dois patrões” (2001/02), “Rosanegra – uma Saga Sertaneja” (2002/05), “O rinoceronte” (2005/2006) além do memorável “ADUBO ou a sutil arte de escoar pelo ralo” (2005-2015).

As releituras marcaram o ano de 2019 para o diretor junto à ATA. Foram remontados, com sucesso de público, “Os Saltimbancos” e “O Rinoceronte” e, em seguida, em 2020, com o impacto da pandemia do coronavírus, ele conduziu o elenco d’Amacaca no espetáculo Virtual “Poema/Confinado”.

Dirigiu e encenou espetáculos em várias cidades brasileiras tendo como parceiros de criação grandes nomes como Antônio Abujamra, codirigindo os espetáculos “Lady Macbeth” (2007), com Marília Gabriela; “Cantadas” (2007), monólogo de Denise Stocklos; e “Os Demônios” (2007).

Recebeu muitos prêmios por suas criações, com destaque para o Prêmio do Serviço Nacional do Teatro (1977) de melhor espetáculo infantil para o antológico “Os Saltimbancos” e o Prêmio Shell (1997) pela direção do espetáculo “Dorotéia”, ao lado de Adriano e Fernando Guimarães. É comendador e oficial da Ordem do Mérito Cultural de Brasília (1991 e 1992), assim como Cidadão Honorário de Brasília (2000), tendo sido os três títulos concedidos pelo Governo do DF. Recebeu também o títulos de Notório Saber em Artes Cênicas (1998) e, recentemente, em 2014, o de professor emérito, ambos pela Universidade de Brasília, instituição na qual foi docente do Departamento de Artes Cênicas durante mais de 20 anos, e atualmente atua como professor-pesquisador.

Ávido por inovação, Hugo é um alicerce incontestável na construção da cena teatral e cultural contemporânea de Brasília, sendo referência mundial para a pesquisa da linguagem teatral.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Lorem ipsum dolor sit amet
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Lorem ipsum dolor sit amet
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Lorem ipsum dolor sit amet
Links Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet

Hugo Rodas