O Rinoceronte

O teatro do absurdo para refletir sobre a cultura do ódio

Baseado na peça de Eugène Ionesco, de 1956, o espetáculo da ATA traz a trama de uma pacata cidade que passa a ser perturbada pela estranha aparição de um rinoceronte em suas ruas. Logo, os bichos aparecem aos montes, frutos da metamorfose de seus habitantes.

Ícone do Teatro do Absurdo, o texto de Eugène Ionesco,  lançado no pós-guerra, em 1956, na adaptação de Hugo Rodas navega na metáfora de uma atmosfera cínica, grotesca e inquietante, que remete ao efeito manada visto em muitas sociedades diante de poderes autoritários. A comédia é uma ode à liberdade de pensamento e busca reflexão sobre a cultura do ódio tão presente em nossa sociedade atualmente.

A atualidade do texto é uma das características que impulsiona o elenco. “Falamos da loucura que é o fascismo e da iminência dele. O texto é da época do pós-guerra e aponta para um período pré-guerra, como o que vemos nesse momento em muitos países da América Latina”, analisa a atriz Camila Guerra.

Existe um labor de arte extraordinário, de um incansável grupo de artistas, que mantém aceso nosso sedento imaginário!

Eles transitam entre clássicos, neoclássicos e pós-modernos. Ou até, viagens livres de classificações. Apenas… Emoções, de textos à flor da pele, que misturam dramas, humores e críticas existencialistas, com a liberdade de poder se despir do convencional, e misturar o punk rock neo metal dramatúrgico, com o cult new pop virtual. Mas tudo sempre banhado de poesia. Existem sim, esses loucos artistas, que as vezes mandam seus recados na lata, ou… preferem vestir de leveza, a crua palavra, que cura ou mata! Eles fazem a arte que pulsa viva, com prazer e dor, nessa labuta, que só quem ama, acata.

Ela sangra, cura e trata! Mas eles seguem… Gerando a emoção que desata nós, eus, tus e eles todos, que flagram sua arte visceral. Existem sim, esses artistas e são apenas três letras que os definem: ATA.

Se fosse um acróstico, seria como um caminho, cheio de espinhos e flores: andanças, teatrando… Amores!! ATA!
Maurício Witczak, ator, dramaturgo e roteirista